Anatomia do golpe

Eu: Ele diz que prefere hip hop, mas também gosta de trance e kizomba.

Ele: Claro, com o hip hop mexe a cabeça, com o trance mexe o corpo e o kizomba é para o traseiro. Por que é que não lhe aconselhas sapateado para os pés?

Tag

A Sónia RM desafiou, e cá estou eu com muito gosto para tirar uns minutos de descanso e responder ao desafio. Diz que há 5 regras:

1. O Desafiador deve fazer 5 perguntas sobre o blog escolhido;
2. O Desafiador deve deixar os links dos blogs que desafiou;
3. O blog que for desafiado deve deixar na TAG quem o desafiou;
4. Só é permitido criar perguntas sobre o blog;
5. Os blogs desafiados devem ser informados disso e responder nos comentários da tag se aceitam ou não.

Aqui vão as minhas respostas:

1. O que te levou a criar o blog? Tenho um grande problema de memória (não diagnosticado, mas tenho consciência que ele existe). O blog foi a maneira mais prática de não me esquecer de certos assuntos.

2. Alguma vez pensaste em terminar com o blog? Porquê? “Terminar” é uma palavra forte, soa a birra. Há vezes em que não tenho tempo (consigo situar ali o mês de maio como o piorzinho, seguido de janeiro e fevereiro), mas também não faço do blog obrigação – quando tenho tempo e me apetece, escrevo / publico. Quando a minha atenção vai para outras vertentes da minha vida, se calhar fica um bocadinho de lado. Sem stress.
3.Alguma vez tiveste problemas com algum seguidor? Já, mas num blog paralelo. Mas como na vida real, smile and wave.
4. O teu blog é completamente anónimo? Que eu tenha conhecimento, todas as pessoas que me conhecem e o lêem sabem que sou eu. Pode existir alguma que até me conhece e não tenha ligado os pontos, mas então é uma pessoa muito despistada, só pode.
5. Sobre o quê te dá mais prazer escrever no blog? Sobre os meus disparates, os disparates de quem gosto e os disparates de quem não gosto nada. Concretamente: piadas bem dadas, palavras trocadas, comentários a despropósito. Rirmo-nos de nós (e dos outros – não sou de ferro!) é um excelente anti-stress natural. Mas confesso que Muuuuuitas vezes acabo por não publicar os mais deliciosos com receio de que levem a mal ou de que me tomem por mais tonta do que já sou. 

 

As minhas perguntas são:

1 – Por que é que criaste um blog?

2 – Já publicaste coisas das quais te arrependeste?

3 – No teu trabalho / na tua escola sabem que tens um blog?

4 – O que é que nunca publicarias no blog?

5 – Completa a frase: “Blogar é…”

E a quem vou passar este desafio? Ora bem:

Opinante

De sonhos se faz a vida

Fashionista

R*

Libelinha

Voltaram os dias de deitar cedo e cedo erguer

Até agora a re-adaptação está a ser fácil – não há nada como podermos viver onde queremos e trabalharmos onde queremos e com quem queremos. Há um único ritual que ainda me faz confusão, falta, vazio: não ter o barulho de umas certas patinhas a correr para mim assim que chego a casa ou aquele guinar de cabeça para o lado, como que a ouvir melhor. De resto, suspeito que lá mais para o final da semana já esteja a suspirar por férias, que a vida continua a rolar, mas é tranquilo.

Joan Rivers

Captura de ecrã 2014-09-4, às 23.43.49

Devo ser a única pessoa do mundo cuja memória que melhor guarda da Joan Rivers era de quando ia ao QVC (sim, o canal de compras) lá para o princípio dos anos 90, falar das pulseiras com berloques e dos pendentes inspirados nos ovos Fabergé. Adorava-os de paixão e adorava-a a ela, diferente de tudo o resto. E não arredava pé da televisão, como se estivesse a ver alguma série sarcástico-cómica com preços e técnicas de televenda à mistura. Claro que a vi aqui ou ali no Fashion Police ou quando comentava este ou aquele evento, mas é e será sempre dos ovos que me lembro. Secretamente, continuam na minha Wishlist.